Animais De Estimação Antes E Depois de Serem Adotadas 2

Animais De Estimação Antes E Depois de Serem Adotadas

Adotar um animal é uma vasto responsabilidade, e possivelmente mudará a vida da pessoa que o adote. Mas é claro que bem como mudará a vida do animal adotado. Estas imagens vos mostrarão a extenso diferença que um só dia pode agir na vida de um animal de estimação que no fim de contas foi aprovada.

Para alguns destes animais levará um prazeroso tempo pra reverter a um estado de saúde e nutrição aceitáveis, contudo a transformação em diversos deles é psicológico, não físico. Não faz ausência narrar que se você está pensando em ter um animal de estimação, por gentileza, se tiver um animal de estimação adotada, gostaríamos muito de saber como tem mudado a vida de seu bichinho. Você gostou da listagem? Você encontra interessante? Não é permitido derramar comentários contrários às leis portuguesas ou injuriantes. Reservamo-Nos o certo de apagar os comentários que consideremos fora do assunto. O criador da listagem bem como poderá cortar os comentários que lhe pareçam estranhas.

O pato Finsch (Chenonetta finschi): ave não voadora, endémica da Nova Zelândia. O pato do Labrador (Camptorhynchus labradorius): esta espécie pouco comum habitava a zona oriental do Canadá e nordeste dos Estados unidos. Aparentemente, abundantes fatores contribuíram para o seu declínio (coleta de ovos, caça pra comprar penas, exploração humana do marisco do que se alimentava etc).

A serreta das ilhas Auckland (Mergus australis): supostamente esta espécie habitava no passado, a Nova Zelândia e os arquipélagos próximos (Chatham e Auckland), entretanto com a chegada dos cientistas europeus só se encontrava deste último arquipélago. A caça e a introdução de ratos nas ilhas provocaram a tua extinção.

As aves desta ordem, ou seja, galos, perdizes, faisões e espécies afins, são vulneráveis à introdução de predadores por causa que raramente voam. A caça e a mudança do habitat assim como têm contribuído para o declínio de diversas espécies. A codorna de Nova Zelândia ou koreke (Coturnix novaezelandiae): esta espécie foi exterminada pelos colonos ingleses da Nova Zelândia.

  1. Criar uma página onde estão todos os artigos em pergunta, e protegê-lo em cascata
  2. Ninja Gaiden
  3. 7| Mantenha seu gato em perfeita saúde
  4. Cama e anão-almoço
  5. cinquenta e nove Pinscher miniatura, uma bola de energia

A introdução de ratos e porcos também colabora pro seu declínio. O megapodio gigante (Megapodius molistructor): este megapodio foi o de maior tamanho que tem coexistido com o homem moderno. É conhecido por sub-fósseis localizados na Nova Zelândia e Tonga. O megapodio das ilhas Fiji (Megapodius amissus): esta espécie é pouco conhecida, contudo parece que sobreviveu na ilha de Viti Levu, até ao início do século XX. A codorna canaria (Coturnix gomerae): Esta espécie que habitava as Ilhas Canárias espanholas até a chegada dos aborígenes canários. Sua caça por sua carne e a predação, que sofria por gatos e ratos, a levaram para a exterminação.

A galinha de urze (Tympanuchus cupido cupido) Subespécie do galo-da-pradaria vasto Tympanuchus cupido. Descrita por Lineu em 1758. Conhecida em inglês como heath hen. Eram incontáveis durante a época colonial. Mas devido à intensa pressão de caça, a população diminuiu rapidamente. Talvez neste momento pela década de 1840, em cada caso, em 1870, todas as galinhas de urze foram extirpadas no continente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima