Entre As Costas E A Parede 2

Entre As Costas E A Parede

A criança da imagem dormiu comigo ontem à noite. Nos conhecemos em um café. Desculpe, apetece-te foder comigo? Você Me entendeu perfeitamente. Você está Me pedindo que eu me deite com você? Não. Eu falou foda-se. Embora se desejar fazê-lo em uma cama, por mim excelente. E o que te faz meditar que eu irei te contar que sim?

Porventura, intitula-se “Bodo com inexplorados”? Não. Mas está escrito por Anaïs Nin. Vejamos… ninguém lê a Anaïs Nin por acaso, e menos “Henry, sua mulher e eu.” Eu estou inclinado a raciocinar que tua obsessão na figura de Henry Miller que você levou pra salientar, digamos, um direito interesse pela única mulher que conseguiu cautivarle.

não tenho dúvida que você leu Trópico de Câncer (várias vezes), Trópico de Capricórnio, do sexus, Nexus, Plexus… Não. Mas o que isto tem a observar com ansiar transar com você? Miller era um ótimo filho da puta, um misógino e, porém, o gênio mais sujo que deu a literatura. No fundo você se sente atraída por esse tipo de homens, agora entende: visceral, seguros de si mesmos, se bem que com tendências autodestrutivas, impermeáveis com o afeto. Mas também nesse tipo de mulher qualificado de enamorarlos.

Ler Nin porque você quer saber como diabos conseguiu tomar uma pessoa desta maneira. Quer estudar a ela para fazer o mesmo. Que eu sou um outro genial filho da puta que não conseguirá se apaixonar. Toma-o como um desafio. Nota: Contra todo pressentimento acabamos na sua casa. Depois de um par de horas ao mais puro estilo Miller, caiu exausta e eu fiquei um prazeroso tempo acompanhando. Estava graciosa. ERA preciosa. Tão dura, por vezes, e no entanto sensível. E se acontecer o oposto e Anaïs, no fundo, sou eu? Fui eu que falou que não me deixaria namorar, entretanto no fundo morrendo de vontade de retornar a vê-la. Em vista disso, deixei uma mensagem à minha forma. Escrevi, com indelével meu Twitter em suas costas, fiz a foto e me marché. Espero, embora o tema, que me acrescente.

10. Você agora leu a crítica-conto, que escreve o escorpião a respeito do seu romance? Vê se tu nos decifra o que significa. como umas flores transparentes, que não cheiram, perfumen um vale inteiro? Pois, como toda fábula bem feita, pode ter vários significados. Obrigado por teu entusiasmo. E sim, você tem toda a explicação, no entanto o quadro é medieval e está bem documentado, eu o que eu queria dizer é desta vida e desse mundo.

12. Imagine que uma filha sua, uma aluna diz: eu Quero ser escritora. Da parte De uma guria que queria ser escritora. Te diria: escreve, escreve, escreve. E lê muito. E continua escrevendo. Chegou-se à conclusão de que se torna romancista pelo motivo de não podes evitá-lo, em razão de você necessita publicar para suportar a vida. Se você é desse jeito, não o deixe. Escreve. persevera, sei pqaciente, resistente. A novela é uma corrida de longa distância. Não se enanmores de suas próprias páginas.

Tira e corrige. Mas tenha a ambição e a soberba de confiar que, trabalhando muito, algum dia conseguirá digitar uma novela maravilhosa. E não desanime por rejeitos primeiros das editoras e outros. 13. como você descobre que seja a conexão homem-mulher no campo do amor dentro de meio século? A verdade é que não imagino.

Vendo, pois, a tendência do último século, espero e anseio que o sexismo siga no desmantelamento. Que daca vez sejamos mais livres, homens e mulheres, de escolher o que queremos ser na existência. E isto, eventualmente, aperfeiçoar a nossa ligação amorosa. 14. Na minha última compra na livraria, me presenteou com um capítulo promocional de “a História do rei transparente”, e curti tal que minha próxima compra será o teu romance e “historiadora”.

  • 226 (discussão) 22:27 17 feb 2018 (UTC)
  • a Sua LESÃO NÃO É Grave Javi tem excelente olho
  • A verdade, pra mim os fofocas que eu não adoro
  • 22 de 30

isto É um tópico que as mulheres só escrevem histórias pra mulheres? Obrigado. Uma leitora no evento. Olá, bonita. Obrigado pelo elogio. Pois sim, é um foco machista. Eu não tenho nenhum interesse em escrever a respeito de mulheres e pra mulheres. Eu escrevo a respeito do gênero humano, todavia 51% do mesmo somos mulheres. E tomara que os homens aprendam a se reconhecer com as personagens femininas, como as mulheres nos identificamos, durante séculos, com os protagonistas masculinos, visto que deste modo serão mais sábios e mais livres.

15. Você é uma das minhas autoras favoritas. E também “Crônica do desamor”, como o Revisa , se preocupa com a tradução de seus textos? o que lhe pareceu “Absent Love: A Chronicle” de Cristina da Torre? Grata pelo teu afeto e a tua perseverança leitora. Eu bem como traduziram o meu segundo romance, The Delta Function (função Delta) em Nebraska Press University.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima