Os Animais Ganham Direitos... E Convulsionan Da Agenda Política 2

Os Animais Ganham Direitos… E Convulsionan Da Agenda Política

A defesa dos direitos dos animais tem entrado no debate político, assim como no mundo ambiente. Os animais são seres que sentem ou sofrem; e o episódio de que cada vez haja mais e melhores conhecimentos científicos a respeito de suas atitudes e comportamentos faz com que muitos cidadãos tenham se convertido em uma causa política de primeira ordem.

As festas conhecidos, sangrentas e a restrição de utilização de animais em circos são alguns dos eixos centrais dos debates em Portugal, se bem que esta restrição já se aplica pela Catalunha. Os defensores dos animais, inscritos em diferentes oenegés e fundações, são protagonizado de fato uma rebelião na fazenda, com crescente intervenção na partidos e instituições.

as Suas reclamações têm dado ambiente a outras regras que regulam a ligação entre o homem e os animais. “Do mesmo jeito que criamos estados para as pessoas, também os animais requerem um conjunto de normas que os defendam”, adiciona Anselmi. Em Barcelona e algumas cidades não apenas discute-se se há que esterilizar os cães e os gatos, ou como devem ser organizadas as campanhas de adoção responsável de animais e contra a compra compulsiva de animais de estimação. E, em paralelo, em todo Portugal as festas sangrentas convencionais começam a ser visão como um episódio de uma história em branco e preto que realmente compensa ser atualizada.

“Nós apreciamos um crescente interesse social na defesa dos direitos dos animais. Queremos que a restrição da apresentação de animais selvagens em circos expedida na Catalunha se estenda a toda a Espanha, com uma lei estadual”, diz Silvia Barqueiro, presidente de partido animalista Pacma. Este partido nasceu regressado para a demanda da proibição dos touros e hoje lida com dados que executam muito improvável que a reconquista prometida pelo Vox entrar a Monumental.

92% dos espanhóis não tem ido aos touros do último ano e 67% rejeitam. “Nenhum partido, excepto nós, coloca-se ampliar a proibição dos touros”, acrescenta Barqueiro, cujo programa eleitoral tiver reservado um amplo capítulo de propostas para guerrear contra a modificação climática, a diminuição de emissões e a defesa do transporte público.

  • 101 visitas
  • Não devem de muito espaço
  • Quanto mais bêbado vai, todavia libidinosamente parece que te olham
  • Tamagotchi Nano
  • caixas de transporte de plástico

não obstante, o espaço político Pacma em Barcelona é mais estreito do que em outros lugares. Talvez, a causa desse impasse seja, que o campo de vendas animalista influenciou de modo transversal os diferentes partidos, de forma especial o PDECat, Comuns e DRC, e menos PSC e Cs, de acordo com Leonardo Anselmi. O Pacma vem sendo várias vezes considerado um “jogo unicausa”, estigma do que tenta esquivar-se com um programa que inclui muitos outros motivos. Muitas algumas vozes acreditam que não tem que haver um partido animalista, no entanto animalistas em todos os jogos.

O repúdio ao abuso animal, o debate a respeito do teu bem-estar e o destino das espécies do zoo marcaram os debates sobre a defesa dos animais em Barcelona. Enquanto isso, a convivência com os animais de estimação a toda a hora aberto múltiplas trincheiras de cidadania. A plataforma Espai Gos batalha por que os cães ganham espaço público e combata a intolerância pra com estes animais; e, por este sentido, construiu-se a praia para cães.

Mas, no outro lado da moeda, diversos setores defendem que “haja menos cães e que se cuidem melhor”. O programa de esterilização de pombos (com imagino que impede a reprodução) introduziu racionalidade em um tópico antes muito tensas, porém o destino dos 4 golfinhos que ficam no zoo não foi resolvido. Os cetáceos deixaram seus direitos de exposições (após as campanhas pra dedurar os bastidores do treino), entretanto estes exemplares continuam em espaços hoje considerados muito baixos.

A busca infrutífera de uma reserva marinha com que os acolhe é um modelo do tortuoso (o impossível) caminho de regresso ao mar dos cetáceos que vivem enclausurados. Você permanecerá alimentando o mito Vo Willy? O novo Zoológico pesquisa-se em manter os ecossistemas naturais de origem (fragmentados, destruídos), no tempo em que abre caminho a ideia de frear a reprodução de animais em teu interior. Só se permitiria a construção, quando se trate de animais com programas ou possibilidades de reintrodução.

E, além do mais, o zoo será o centro de acolhimento de animais selvagens confiscados ou maltratados pelo comércio ilegal. Anna Mulà, afiliado do conselho municipal de convivência, defesa e protecção dos animais, aponta para as múltiplas carências não resolvidas. É prioritário alcançar um material de acolhimento de animais de companhia ou desenvolver um novo espaço para a proteção e adoção de gatos, entre novas prioridades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima